Paulo Afonso-BA: Mistério da reunião fechada com o governo sobre a Embasa é motivo de protestos na Rede Social

A imprensa foi pega de surpresa com uma reunião que aconteceu a portas fechadas na manhã de 23 de abril de 2019 no gabinete do prefeito Luís Barbosa de Deus (PSD), reunião essa na qual participaram quase todos os vereadores do município.

Apenas os vereadores Mário Galinho (SD) e Zé Carlos do BTN (PRB) não foram convidados. Claro que a imprensa também ficou fora dessa conversa. Muitas especulações surgiram nas redes sociais após o vídeo feito pela jornalista Ivone Lima, do site Painel, onde a mesma fez algumas indagações aos vereadores Jean Roubert (PTB) e Pedro Macário (Progressistas) ao término da reunião, no entanto, os vereadores não deram uma resposta plausível à jornalista e nem tão pouco ao povo de Paulo Afonso.

Votação da Embasa : veja o que diz com exclusividade Jean Roubert Félix Netto é Pedro Macário

Posted by Ivone Lima on Tuesday, April 23, 2019

 

Esse projeto que renova a concessão para a Embasa continuar explorando os serviços na cidade, vem sendo engavetado há muito tempo, inclusive foi motivo de Abaixo-Assinado, caminhadas pelas ruas da cidade, entre outras manifestações.

Outro questionamento da imprensa e da população, foi a urgência em colocar esse projeto em pauta numa sessão extraordinária (25 de abril de 2019). A ideia proposta por alguns vereadores era que fosse realizada uma Audiência Pública a fim de discutir melhor esse projeto que mexe com a vida da população, seja na infraestrutura ou financeira, pois é no bolso, que o contribuinte será mais atingido. Enfim, o povo verá amanhã quem e como votarão os vereadores, pois já existem mobilizações nas redes sociais para divulgar até em outdoor os vereadores que votarem favoráveis a renovação do convênio com a Embasa, A Embasa segundo reportagem obteve 485% de crescimento entre 2015 e 2017.

Quem não lembra da votação TIP-Taxa de Iluminação Pública, imposto que cobra do consumidor de energia elétrica algumas percentagens na conta, que retira do bolso dos munícipes esse referido imposto, o qual aparece disfarçado com outras siglas, tipo CLPM-Contribuição Iluminação Pública Municipal, TIP, TIC, entre outras. Na ocasião da votação da TIP, houve empate, entre 06 votos da oposição e 06 da situação, ficando Dinho de Alonso, presidente da Câmara na época, como voto minerva que definia, ou seja, desempatava a votação, e foi o que Dinho fez, na época votou com o prefeito, e deu de presente à população essa taxa abusiva que até hoje é cobrada. Só o ex vereador Dinho sabe o que essa escolha lhe causou,  e até hoje ele é cobrado. Nada que não possa um dia ser reparado.

Voltando ao assunto, agora é preciso ver o que é que a Embasa modificou nessa nova proposta do projeto a fim de convencer os vereadores e os pauloafonsinos a mudarem de ideia.

 

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE