Japão emite alerta sobre infecção bacteriana rara e letal

As autoridades de saúde do Japão emitiram um alerta devido ao aumento inesperado de casos de uma rara infecção bacteriana, conhecida como síndrome do choque tóxico estreptocócico (STSS). Até o momento, quase mil casos foram registrados em 2023, uma cifra alarmante que desperta preocupação, uma vez que as causas desse aumento ainda não foram determinadas.

A STSS é causada pela bactéria Streptococcus do grupo A, que, ao penetrar nos tecidos profundos e na corrente sanguínea, pode provocar uma série de sintomas graves. Os primeiros sinais da doença incluem febre, calafrios, dores musculares, náuseas e vômitos. Em um curto período de tempo, geralmente dentro de um ou dois dias, a pressão arterial do paciente tende a cair drasticamente, levando a consequências mais sérias como taquicardia, respiração acelerada, sepse, necrose dos tecidos e falência de múltiplos órgãos.

Para combater essa infecção, é essencial que os indivíduos afetados recebam hospitalização e tratamento médico imediato. O protocolo de cuidado inclui a administração de fluidos intravenosos e, em casos severos, pode ser necessário realizar cirurgias para remover os tecidos infectados ou até mesmo amputar membros.

Atualmente, não existe um exame específico para diagnosticar a STSS; a doença é identificada pela presença do estreptococo do grupo A, pressão arterial baixa e disfunção de pelo menos dois órgãos. A transmissão da bactéria pode ocorrer de pessoa para pessoa, elevando o risco de contágio, motivo pelo qual é recomendado o isolamento dos pacientes.

Os grupos mais vulneráveis à infecção incluem idosos acima de 65 anos, pessoas com diabetes, feridas abertas ou aquelas com transtornos relacionados ao uso de álcool. Medidas de prevenção como lavar as mãos frequentemente e tratar adequadamente feridas e infecções fúngicas são altamente recomendadas para reduzir o risco de contaminação.

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE